Empatia e o seu poder transformador

Olá Empreendedora!!

Existe coisa melhor que conversar com alguém que parece estar sentindo exatamente o que estamos sentindo e passando? É como se essa pessoa com quem conversamos sentisse as dores, preocupação e mais, buscasse intensamente resolver a situação tanto quanto eu. O que acontece com essas pessoas? Elas possuem o dom da empatia.

Por definição, Empatia significa a capacidade psicológica para sentir o que sentiria uma outra pessoa caso estivesse na mesma situação vivenciada por ela. É tentar compreender sentimentos e emoções, procurando experimentar de forma objetiva e racional o que sente a outra pessoa.

É incrível como essa atitude pode transformar relações, criar vínculos, gerar maior produtividade e motivar uma equipe inteira! A empatia leva as pessoas a se ajudarem e saírem do individualismo e pensar no coletivo. Ou seja, deixe-me parar um pouquinho de olhar para o meu próprio umbigo e tentar entender o que essa outra pessoa que está conversando comigo está passando. E se você desenvolver bem esse talento, você pode ir além e descobrir coisas e causas que a aparência nem sempre revela, pois requer interesse em descobrir de quem ouve e carinho e respeito com o ser humano.

A palavra empatia se originou da fusão de duas palavras gregas, com seus respectivos significados: in – para dentro; –pathos – sentimento, por essa razão, consiste em fazer uma viagem para fora de si na tentativa de enxergar as situações da vida de uma outra pessoa sob o ponto de vista dela e ao mesmo tempo, procurar ser imparcial. Pois lembre-se: muitas vezes a pessoa que te conta algo não deseja necessariamente que você concorde com ela, mas que a entenda. E o fato de você dizer a ela “Nossa, eu entendo o que você passa e imagino que seja uma situação delicada” , não significa que você concorda com tudo o que ela fez para chegar àquele triste cenário.

Essa semana ministrei uma palestra para um grupo de servidores públicos da área da saúde e claro, abordei o tema da empatia. Fundamental nessa área (nas outras também ok?).

E usei um exemplo que nunca mais me esquecerei pois foi uma declaração de uma médica sobre quando ela recebe alguma criança com pneumonia ou outra doença grave. E a declaração e entendimento pra lá de empático foi o seguinte: ” A pneumonia foi a forma que a miséria usou para se expressar. Ou seja, a pneumonia foi a forma de dizer: olha meu filho está assim pois não temos dinheiro para comprar remédios. Ou essa criança está com pneumonia porque quando chove entra chuva dentro da nossa casa. Ou meu filho é mal nutrido, pois meu esposo está desempregado…” 

Eu me emocionei muito ao ouvir aquilo e ainda aqui escrevendo me emociono. Que visão empática e caridosa dessa médica. Que coisa maravilhosa! Essa nasceu para servir e precisamos muito de servidores.

Comece a praticar a empatia com um sorriso e com a disposição sincera de ouvir sem julgar. Você verá como tudo irá mudar 😉 

E depois me conte!

Abraço,

Paula Dal Belo

Escrito por Paula Dal Belo, advogada por formação e empreendedora por vocação. Empresária, idealizadora do movimento LINDA TODA que fomenta o empreendedorismo feminino e presidente da ACI MULHER de São José dos Campos.

Invista em você e no seu desenvolvimento

Olá empreendedora!

Hoje o assunto aqui é tão sério mas infelizmente ainda vejo muitas pessoas o tratando como um “hobby”. Isso mesmo! Muitas pessoas tratam o desenvolvimento pessoal e profissional como tratam um hobby: só fazem quando dão prazer, não o praticam com disciplina e foco, afinal estão ali só para se “divertirem”, porém desejam obter resultados se comparando com pessoas que levam muito a sério o auto desenvolvimento e que por conta disso, geram resultados superiores! #naoémagica

Vou te contar uma coisa: o auto desenvolvimento não te trará apenas mais oportunidades profissionais ou prosperidade como consequência, nem tudo é sobre dinheiro, correto? A auto-aprendizagem apresenta vantagens primeiramente ao indivíduo e, conseqüentemente, à organização. Porque ao se conhecer melhor você fica mais consciente e focado no seu desempenho, nos seus talentos naturais e fraquezas e almeja o constante aperfeiçoamento, pois enxerga onde pode chegar se você treinar, treinar, aprender, aprender, realizar e realizar até chegar lá!

Fico impressionada quando ouço de algumas pessoas sobre irem ou não irem a determinada palestra, curso e workshops (muitas vezes gratuitos, hein?): “Ah se der eu vou…” ou “Se eu não for a tal lugar eu vou lá…”. E nessa de “boa intenção” de fazer algo, fazem suas inscrições e não aparecem, tirando a vaga de uma pessoa que gostaria de ter ido, por exemplo.

E quando falamos de cursos pagos então?! Minha nossa! Não parece tão óbvio que seja um investimento. Vejo pessoas defenderem a educação e a cultura com tanto fervor, mas para dizermos que valorizamos algo pergunto até onde você iria ou qual sacrifício realizaria por essa “causa”?

Em minha cidade o prefeito decidiu cortar gastos e infelizmente cortou o convênio da prefeitura com a orquestra sinfônica da cidade. Uma pena mesmo! Mas a pergunta que te faço é se essas pessoas que tanto reclamaram ou criticaram a decisão do prefeito, algum dia na vida pagaram por um concerto dessa orquestra na cidade??? Ou “frequentavam” e “fomentavam a cultura” somente “prestigiando” seus concertos gratuitos??!!

Não quero dizer aqui (jamais!) que não existe valor, conteúdo relevante e validade nos cursos gratuitos! Mesmo porque eu mesma realizo encontros semanais gratuitos através do movimento que lidero chamado LINDA TODA. O que desejo refletir com você é sobre trazer à consciência a importância de investir no seu desenvolvimento e não encarar como gasto aquilo que certamente lhe trará inúmeros benefícios. Considerando que o aprofundamento de questões e assuntos nós só conseguimos com um pouco mais de tempo, dificilmente encontraremos cursos de 1 semana ou superiores a 12 horas, gratuitos, não é mesmo??!

Bóra refletir sobre o que queremos colher. E identificar se as sementes que estamos plantando nos darão a colheita que esperamos. #ficaadica

Abraço!

Vamos juntas!

Paula Dal Belo

 

Escrito por Paula Dal Belo, advogada por formação e empreendedora por vocação. Empresária, idealizadora do movimento LINDA TODA que fomenta o empreendedorismo feminino e presidente da ACI MULHER de São José dos Campos.